***: Política ou Politicagem?

16/02/2016

Política ou Politicagem?





Não gosto de política.

Prefiro não me envolver.

Pra que horário eleitoral?

São todos ladrões.

É o que mais ouvimos. Politica não é somente um voto e nem se encerra na urna, vai além desse pequeno conceito, bastante limitado, politica é um termo amplo e presente no nosso dia a dia, basta observar mais atentamente nossas relações sociais, em casa, no trabalho, na igreja, no clube, na escola e em outros locais onde a interação social se faz necessária.

Muitos dizem que política não se discute, lamento quem pensa dessa forma...se discutíssemos política, com certeza eliminaríamos muito a politicagem.

Política, praticamos dentro de nossas casas, onde um coloca o dinheiro, outro administra, alguns são comandados e outros menores são o futuro do país, ou seja, poder econômico, governo, povo e classe trabalhadora.

É o poder de um sobre o outro para defender o bem comum.

Todos precisam uns dos outros, precisamos viver de forma harmônica e para isso precisamos de normas para que não haja conflitos entre nós. Certo?

Então, politica diz  respeito ao bem comum. Imagina um grupo de pessoas lutando por algo que irá beneficiar muita gente, isso é politica. Você esta conversando com sua vizinha sobre assuntos relacionados ao bem comum, isso é politica.

Politica é uma relação de poder  e decisões    .
                                  
Parece fácil, depositamos essa confiança ao escolhermos nossos representantes, seja na esfera Federal, Estadual ou Municipal e essa confiança tem de ser respeitada, pois esses representantes recebem uma procuração assinada pelo povo para honrar seus compromissos com a população.

Mas, essa “Força Política” acaba se transformando em “Politicagem”.



Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

Quando nos afastamos da política, somos governados por aqueles que gostam de politicagem, ou seja, pelos maus.

Politica e Politicagem: é a boa ou a má conduta de nossos representantes diante das facilidades que esse poder lhe oferece.

Somos o país com uma das piores relação de distribuição de renda per capita do mundo.

A corrupção desestimula qualquer ideia positiva, mas não vamos desistir agora e é por isso que precisamos nos envolver, participar mais da gestão pública de nossa cidade para evitarmos essa situação.

Dos Atos de Improbidade Administrativa que Atentam Contra os Princípios da Administração Pública

        Art. 11. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, e lealdade às instituições, e notadamente:


Os corruptos não podem ter essa liberdade de se comportarem como se nunca fossem descobertos, não pode haver brechas na lei facilitando assim a vida de pessoas de má índole que agem de má fé os livrando de um processo criminal. Todos sofremos com a corrupção, mas, a população de baixa renda é a mais atingida que deixa de usufruir dos serviços básicos, como saneamento, saúde e educação.

Falta maturidade? Também. Mas falta vergonha na cara de cada um que não faz nada e não é capaz de se levantar e se mover. Precisamos sair da nossa zona de conforto e agir para que possamos ver mudanças.

Somos a maioria...a maioria que quer paz, a maioria que quer justiça, a maioria que quer igualdade. Não podemos agir conforme o que convém a nós sem nos preocuparmos com o que esta acontecendo ao nosso redor.

Estamos nos deixando levar por uma raça de hipócritas de gentinhas que compõe esse Poder Político e Administrativo que surge conforme a necessidade do povo ..."só surge mesmo", pois os seus projetos são de apoderamento e quando há assistência é de intimidação nos fazendo recuar.

Ironia ou não...


Foi aprovada em 2003 a “Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção” pela Assembleia-Geral da ONU, com 71 artigos divididos em 8 capítulos, mas só entrou em vigor em 14 de dezembro de 2005.

A finalidade da presente Convenção é:

        a) Promover e fortalecer as medidas para prevenir e combater mais eficaz e eficientemente a corrupção;

        b) Promover, facilitar e apoiar a cooperação internacional e a assistência técnica na prevenção e na luta contra a corrupção, incluída a recuperação de ativos;

        c) Promover a integridade, a obrigação de render contas e a devida gestão dos assuntos e dos bens públicos.

Então o que acontece?

Fica difícil assim...

Então surge a dúvida em quem votar? Em quem confiar como nosso representante?

Nunca sairemos do lugar se ficarmos parados nas perguntas acima.

Sabemos quem um bom político tem de trabalhar em prol  da população ter boas intenções e principalmente consciência de sua responsabilidade e não somente agradar os seus eleitores.

Sempre se dedicando ao bem coletivo.

Devemos acreditar que ainda existem pessoas com caráter voltado para o bem estar de todos.

E se ainda assim, colocarmos no poder pessoas sem essas características, inconscientes é claro, temos o direito de exigir, o melhor desempenho possível e protestar sim quando eles estiverem agindo contra as mudanças necessárias, para o bem coletivo.

Devemos sair do comodismo da nossa zona de conforto e correr atrás do prejuízo.



Andreia Mara
Guarda Civil Municipal
Bacharel em Direito
Associada a UBEBlog


2 comentários:

  1. Gostei, digo que, os cargos políticos deveriam ser ocupados por políticos de vocação é não de profissão.

    ResponderExcluir
  2. Gostei, digo que, os cargos políticos deveriam ser ocupados por políticos de vocação é não de profissão.

    ResponderExcluir