***: O maniqueísmo nosso de cada dia!

08/03/2017

O maniqueísmo nosso de cada dia!

O MANIQUEÍSMO NOSSO DE CADA DIA!



Há algo que me chama a atenção nas relações diárias, seja no campo pessoal nas relações tradicionais ou no campo virtual através das redes sociais, em especial no aplicativo Whatsapp, há um seleto grupo de profissionais de Guarda Municipal que fracionaram o mundo em duas partes: “Os que são Guardas Municipais e Policiais e os que não são Guardas Municipais e Policiais”, maniqueístas inconscientes e involuntários, são os chamados “inocentes culpados”, visto que pela própria existência limitada a mundos fechados e aos seus próprios limites e crenças no pior sentido da palavra, vivem dentro de uma caixa condicionados a  pensamentos obtusos.



No entendimento desse seleto grupo de pessoas, aqueles que prestaram concurso e seguiram pelo caminho profissional a serviço das organizações de segurança seja ela de ordem orgânica ou pública/externa, são os “BONS” e aqueles que optaram por seguir por um outro caminho que não o de servir a sociedade seja de forma orgânica as suas administrações ou de forma pública direta no enfrentamento ao crime, são os “MAUS”, e por consequência tem uma vida limitada e sem qualquer sentido ou valia a sociedade, em nada podendo contribuir para a causa da Segurança Pública, ou que se tentarem contribuir com algo, a contribuição fica sob suspeita, pois não integram o time dos “BONS”.



Há uma tese defendida por Maniu Maniqueu no século III que criou pensamento dualista no sentido religioso e por consequência em qualquer outro segmento social, a melhor definição encontrada para a tese do maniqueísmo é essa que faço a citação abaixo:

Maniqueísmo é a ideia baseada numa doutrina religiosa que afirma existir o dualismo entre dois princípios opostos, normalmente o bem e o mal.

O maniqueísmo é considerado uma filosofia religiosa, fundada na Pérsia por Maniu Maquineu, no século III, sendo bastante disseminada por todo o Império Romano.

Para o maniqueísmo, o mundo é dividido entre o bem, representado pelo “Reino da Luz”, e o mal, simbolizado pelo “Reino das Sombras”, ou seja, um eterno combate entre Deus e Diabo.

Para os maniqueístas, toda a natureza material é essencialmente perversa e má, enquanto que a bondade se encontra intrinsecamente presente no espírito e no mundo espiritual.

O maniqueísmo, como religião, também era formado a partir do sincretismo, pois Maquineu teria misturado características próprias de várias doutrinas, como o hinduísmo, budismo, judaísmo, cristianismo e zoroastrismo (antiga religião persa) para desenvolver o conceito do maniqueísmo.

Devido a definição dualista que caracteriza o maniqueísmo, por extensão este termo também é utilizado para adjetivar qualquer perspectiva de mundo em que haja uma divisão entre aspectos opostos e incompatíveis.

Muitas pessoas consideram o modelo maniqueísta muito simplista, pois se limita em dividir todas as coisas em apenas dois opostos: “o bem e o mal”, “o certo e o errado”, “a causa e o efeito”, “isso ou aquilo” e etc.



Por exemplo, acreditar que uma pessoa boa sempre será boa, enquanto que uma pessoa má sempre será má é uma demonstração de pensamento do maniqueísmo.

Trazendo essa ideia conceito de ordem religiosa para o campo político/profissional/social, e olhando com as lentes apropriadas poderemos observar o “discurso diário”, nas nossas relações, identificando quase que de imediato, eis o decálogo de um maniqueísta, identifique nas suas relações tais assertivas e comportamentos:
1.    Você é GCM/Policial, você é bom;
2.    Você é GCM/Policial, se errar é porque a sociedade não GCM/Policial não presta, e está doente;
3.    Você é do “nosso time”, portanto faz parte dos “bons”;
4.    Nossas ideias e conceitos são bons, as dos demais são ruins;
5.    Somente pode ser bom se for GCM ou Policial;
6.    Não há vida fora do nosso mundo profissional;
7.    Não precisamos “deles”, produzimos tudo;
8.    Somos uma “casta profissional, escolhida por Deus para uma missão”;
9.    Sem “nós” o mundo para de funcionar;
10. Quem não é “GCM/Policial” não pode contribuir com nada, o conhecimento, a graça, a razão, a força, o vigor e a glória são somente nossas, os bons.
CONSELHO: 
FUJA DE MANIQUEÍSTAS SOCIAIS, PROFISSIONAIS, RELIGIOSOS E POLÍTICOS.

 

Elvis de Jesus
Teólogo - FAERPI
Especialista em Direito Administrativo - UCAM


Nenhum comentário:

Postar um comentário